Últimas Postagens

“Não quero mais espelho, espelho meu.”

 

Nikon lança câmeras sem espelho com lentes intercambiáveis.

DA REUTERS, EM TÓQUIO
21/09/2011 – 17h05


A Nikon revelou suas primeiras câmeras[bb] sem espelho nesta quarta-feira (21), antecipando-se à sua arquirrival Canon[bb] no nascente mercado de câmeras pequenas com lentes intercambiáveis, no qual outros fabricantes têm tido sucesso irregular.

Com preço em torno de 70 mil ienes (R$ 1.569) e 105 mil ienes (R$ 2.354), a Nikon 1 J1 e a Nikon 1 V1, que há tempos eram alvo de rumores, começarão a ser vendidas em 20 de outubro, afirmou a empresa no lançamento em um hotel luxuoso no distrito Roppongi, em Tóquio, com modelos, atores e a estrela de TV Takuya Kimura.

 

Modelo posa com a câmera Nikon 1 J1 durante evento em Tóquio.

 

“Um novo mercado está se desenvolvendo entre pessoas que sentem que uma câmera compacta não é boa o suficiente”, afirmou Yasuyuki Okamoto, chefe da divisão de imagem da empresa, acrescentando que o pequeno tamanho da câmera é um dos seus principais atrativos.

A Nikon e a Canon dominam o mercado das pesadas câmeras SLR (single-lens reflex), usadas por fotógrafos profissionais e entusiastas, e as câmeras sem espelho reúnem muito dos benefícios desses modelos de alta tecnologia em corpos menores.

Elas têm sensores grandes, que proveem boa qualidade de imagem, mas não possuem visor ótico, o que permite aos fabricantes manter o corpo da câmera menor e mais leve ao não incluir o espelho na estrutura.

 

Nikon 1 V1 e J1 em exibição durante evento em Tóquio.

 

O novo formato é popular no Japão, onde consumidores tendem a valorizar produtos bastante portáteis, mas vendeu menos na América do Norte e na Europa.

Câmeras sem espelho representaram 31% de todos os modelos com lentes intercambiáveis vendidos no Japão em 2010, mas apenas 10% nos EUA, segundo a empresa de pesquisa IDC.

O envio global de modelos de câmeras sem espelho para o mercado chegou a 2,1 milhões de unidades em 2010, mas o IDC está revisando suas previsões para 2011, que deve depender de novos participantes e das condições da economia, segundo a empresa de pesquisa.

 

Tradução de RAFAEL CAPANEMA
Fonte: Folha.com

 

Deixe seu comentário

Marcado como:

2 comentários

  1. O jeitinho brasileiro continua em voga, mas com outras ferramentas.

  2. Alexandre Maia

    Quis nem saber, continuei confiando mais na Canon. Tanto é que recentemente lançaram a G1X, bem mais interessante que essa daí, principalmente em termos de sensor.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

*