Últimas Postagens

Minas Gerais: Caminhos do Sertão, por Bruno Fujii

Guimarães Rosa participou de uma boiada em 1952 que durou 10 dias, 8 boiadeiros o acompanharam por 240km no centro de Minas Gerais. Após essa viagem, Guimarães Rosa escreveu um dos mais importantes livros da literatura brasileira: “Grande Sertão: Veredas (1956)”. Passados de mais de 60 anos, eu decidi me basear nessa viagem e no cenário vivido por Riobaldo durante suas aventuras. Essa viagem eu sempre planejei de maneira inconsciente desde a primeira vez que li o livro, há mais ou menos 8 anos atrás; antes mesmo de passar por minha cabeça se tornar fotógrafo.

Em 2015, com essa ideia fixa, li “A boiada” — um livro que consiste em notas que Guimarães Rosa fez durante sua viagem na década de 50 —, e depois de terminar o livro, li novamente “Grande Sertão: Veredas”. Depois de apenas algumas páginas, resolvi definitivamente me aventurar: uma viagem de 15 dias pelo sertão e cerrado de Minas Gerais; passando por pequenas cidades, vilarejos, e comunidades ribeirinhas do rio São Francisco — o maior rio que corre inteiro dentro do território nacional.

Ainda não tenho uma ideia bem definida do que se tornará esse projeto. Meu plano é poder achar uma maneira de visitá-los novamente em um futuro próximo para entregar pessoalmente os retratos que fiz, como sinal de agradecimento pelo tempo e gentileza das pessoas que me receberam.

Eu estava em um lugar que me sentia profundamente conectado e eu acho que isso foi uma das coisas mais importante nessa viagem e na experiência que tive. Tive a sensação de entender melhor quem eu sou e do Brasil que faço parte, e espero que as fotos que resultaram dessa viagem possam transmitir a gentileza e bondade de todas as pessoas que conheci em Minas Gerais.

bfiji (3)

Fotos e texto: Bruno Fujii

Quer ver suas fotos no Atelliê? Saiba como clicando AQUI.

Deixe seu comentário

Um Comentário

  1. achei muito clichê.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

*