Últimas Postagens

Calendário Pirelli 2017: ainda recheado de admiráveis mulheres

cal2

Texto originalmente escrito por Haley Nahman, via Man Repeller — Nesta manhã, enquanto ainda estava deitada na cama, de olhos semicerrados nas notícias, perguntando-me se poderia evitar as manchetes ou minha longa lista de tarefas a cumprir, algo leve e inocente ocorria em Paris. O Calendário Pirelli 2017 foi lançado com Kate Winslet, Penélope Cruz, Nicole Kidman, Dame Helen Mirren, Uma Thurman, Robin Wright, Lupita Nyong’o, Alicia Vikander, Julianne Moore, Rooney Mara, Jessica Chastain, Charlotte Rampling, Zhang Ziyi, Lea Seydoux e Anastasia Ignatova (juro que tentei abreviar esta lista, mas me seria impossível).

Gente, um calendário! Uma engenhoca de papel para sua parede que lhe diz o dia do mês e lhe mostra uma bela foto! Super simples.

O primeiro Calendário Pirelli saiu em 1964. Naqueles dias era um brinde corporativo, como aquelas canetas com marca gravada que ficam jogadas na sua gaveta de velharias por anos. Logo se tornariam mais cuidadosos, selecionados e dariam um ar de exclusividade (uma encantadora historinha para um calendário de parede vindo de uma empresa de pneus). Modelos ascendentes clicadas por fotógrafos com nomes reconhecíveis, uma estética que zombava do tabu. Tornou-se um símbolo dos tempos que mudavam.

Em 1974 a recessão forçou à produção do calendário uma dramática parada. Ficou às sombras por 10 anos. Mulheres eram clicadas nuas, mas por aí. O calendário retornou em 1984 como brincadeira séria (a distância deixa o coração mais amoroso) e desde então nos anos seguintes cresceu na onda do zeitgeist. Superestrelas, super fotógrafos, montes de limites revistos e aclamação artística, esse tipo de coisa. Você pode ler tudo sobre isso com mais detalhes no site da Pirelli, se estiver interessado.

No último ano o Pirelli foi clicado por Annie Leibovitz. Esse fato recebeu toneladas de mídia, e bem merecidamente, por estar repleto de mulheres enojadas em seus campos de atuação, fotografadas lindamente e apresentadas sem retoques, como Amy Schumer, Ava Duverney, Tavi Gevinson, Yao Chen e Serena Williams. Você pode ler sobre a edição de 2016 aqui.

A edição de 2017 lançada ontem foi clicada por Peter Lindbergh, outro dos grandes fotógrafos de moda icônicos. O foco para esse Calendário Pirelli (seu terceiro, na verdade) foi em atrizes, e ele buscou destacar a beleza natural de uma forma semelhante à de Leibovitz.

cal3 cal

“Eu pretendia usar o Calendário de 2017 para fazer uma proclamação por um tipo diferente de beleza”, disse Lindbergh numa entrevista. “O sistema atual promove apenas um tipo e beleza que é muito conectado à juventude e à perfeição porque é um sistema muito baseado no consumo, cuja ideia de beleza não tem nada a ver com a realidade ou as mulheres. Acho que necessitamos dar um passo para trás e perceber que essa ideia de beleza não ajuda as mulheres, pelo contrário, deixa-as infelizes.”

Enfim, assista abaixo um resumo da produção (ou a versão completa aqui) e veja depois como foi o trabalho da equipe nesta edição aqui. Pode ver ainda as fotos finais aqui.

 

Relembre o que já foi falado sobre o Calendário Pirelli aqui no Atelliê.

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

*