Últimas Postagens

15 termos básicos da fotografia que todo iniciante precisa conhecer

Aprender fotografia digital pode ser uma tarefa bem complicada, especialmente quando você começa a descobrir expressões técnicas que talvez nem os dicionários conheçam. Pior ainda é quando você se pega perdidamente apaixonado pela arte de fotografar, mas ainda sair por aí falando “o buraquinho pelo qual você olha pra bater a foto”. Entender os princípios básicos da fotografia e utilizar os termos corretos é um dos primeiros passos de quem quer melhorar suas habilidades como fotógrafo.

E foi pensando nisso que o fotógrafo Justin Katz, do portal CreativeLive, criou uma lista indispensável para ser incluída imediatamente ao vocabulário básico do fotógrafo iniciante. Veja só:

 

Abertura

Este é o primeiro termo de fotografia que você deve aprender. Simplificando, a abertura é o tamanho da abertura na lente. Pense na lente como uma janela – grandes janelas deixam entrar mais luz, enquanto janelas pequenas deixam entrar menos luz. Uma abertura “larga” deixará mais luz na imagem para uma foto mais brilhante, enquanto uma abertura menor deixa menos luz entrar de uma vez. A abertura é medida em f-stops; Um f-stop com número pequeno como f / 1.8 significa uma abertura larga, um f-stop com número grande, como f / 22, é um muito estreito. A abertura é uma das três configurações da câmera que determinam a exposição de uma imagem, ou seja, quão clara ou escura uma foto é. A abertura também afeta o quanto do fundo da imagem também aparece nítido na foto: aberturas largas resultam em um fundo “cremoso” e sem foco, enquanto as aberturas estreitas mantêm a imagem mais nítida no background.

Bokeh

Bokeh é o efeito criado pelas luzes que estão fora de foco em uma imagem. É um efeito muito legal que aparece geralmente no fundo das fotos clicadas com aberturas largas, mas o Bokeh também pode ser facilmente “falsificado” com o uso do Photoshop (muitas vezes utilizados de forma displicente por iniciantes).

Digital X Óptico

Digital e óptico são termos importantes para entender quando se decide comprar uma nova câmera. Estes termos são geralmente usados quando nos referimos ao zoom (em uma câmera compacta), bem como a estabilização da imagem. Digital significa que o efeito é conseguido através de software, não partes físicas da câmera. Óptico é sempre melhor do que digital. 

Equilíbrio de branco

Seus olhos se ajustam automaticamente a diferentes fontes de luz, mas uma câmera não pode fazer isso – por isso, às vezes, você tira uma imagem e ela parece muito azul ou muito amarela. Se você usa o Balanço de Branco (WB) correto sua câmera consegue fotografar o “branco verdadeiro” que você está vendo na vida real. Todas as câmeras têm uma configuração automática de balanço de branco, mas, como qualquer ajuste automático, ele nem sempre é preciso. 

Exposição

A exposição é o quão clara ou escura uma imagem é. Uma imagem é criada quando o sensor da câmera (ou faixa de filme) é exposto à luz e é daí que o termo se origina. Uma foto escura é considerada subexposta, ou não foi exposta a luz suficiente; Uma foto clara está superexposta ou exposta a muita luz. A exposição é controlada através da abertura, velocidade do obturador e ISO. A exposição também é subjetiva – não há exposição “certa”.

Fonte: Lomogracinha

Foco

Quando seus olhos se concentram em um objeto que está perto de você, os objetos distantes aparecerão desfocados. Na fotografia, o significado é o mesmo. Algo que está em foco é nítido, enquanto um objeto que está fora de foco não é nítido.

ISO

O ISO determina a sensibilidade da câmera à luz. Por exemplo, um ISO de 100 significa que a câmera não é muito sensível – ideal para fotografar à luz do dia. Uma ISO 3200 significa que a câmera é muito sensível à luz, então você pode usar esse ISO mais alta para tirar fotos com pouca luz. Porém, é importante observar que quanto mais alto o ISO, menos detalhes suas imagens vão ter e mais granuladas elas vão parecer. O ISO é equilibrado com a abertura e a velocidade do obturador para obter uma exposição adequada.

Longa exposição

Uma longa exposição é uma imagem que foi exposta por um longo tempo, ou usa uma velocidade de obturador longa. Essa técnica é útil para fotografar objetos imóveis em condições de pouca luz ou para tornar objetos em movimento em um borrão artístico. Fotografia de longa exposição noturna pode produzir alguns resultados bastante incríveis. 

Profundidade de campo

Profundidade de campo é um termo de fotografia que se refere a quanto da imagem está em foco. É certo que a câmera focalizará em uma distância, mas há também uma determinada distância na frente e atrás daquele ponto que permanecerá nítido – a profundidade de campo. Geralmente, os retratos têm um fundo macio, sem foco, com uma profundidade de campo rasa. Paisagens, por outro lado, muitas vezes têm mais da imagem em foco, ou seja, uma grande profundidade de campo, com uma grande variedade de distância que permanece nítida.

RAW

RAW é um tipo de arquivo que dá ao fotógrafo mais controle sobre a edição de fotos. Este formato é considerado um negativo digital puro, ao contrário do arquivo JPEG que já foi processado um pouco pela câmera. O arquivo RAW requer softwares especiais para serem visualizados ao contrário do JPEG que é mais universal.

Regra dos Terços

Esta regra composicional sugere imaginar uma imagem dividida em três partes horizontalmente e verticalmente. Muitas vezes as composições mais interessantes resultam em colocar o sujeito em um dos encontros dessas linhas imaginárias, em vez de no centro da foto.

Ruído

O ruído nada mais é do que pequenas manchas em uma imagem, também às vezes chamado de grão. As imagens tiradas em ISOs elevadas têm muito ruído, por isso é melhor usar o ISO mais baixo possível.

Time Lapse

Um time lapse é um vídeo criado pela junção de várias fotos do mesmo assunto tirados em diferentes momentos. Só não vale confundir com a longa exposição que é uma foto única.

Velocidade do obturador

O obturador é a parte da câmera que abre e fecha para deixar a luz entrar ao tirar uma foto. A velocidade do obturador é o tempo que o obturador permanece aberto, escrito em segundos ou frações de segundo, como 1/200 s. ou 1″, com o” símbolo usado frequentemente para designar um segundo inteiro. Quanto mais tempo o obturador permanece aberto, mais luz entra. Porém, deve-se observar que qualquer coisa que se movimente enquanto o obturador estiver aberto, se tornará um borrão na fotografia. Tripés são necessários para velocidades de obturador mais longas.

Viewfinder

Esse é, no fim das contas, o buraquinho que você olha para tirar a foto. Algumas câmeras digitais mais básicas apresentam apenas um visor na parte de trás.

 

|VIA|

 

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

*