Últimas Postagens

Tarefa de Casa: 03 elementos básicos que todo iniciante precisa aprender a dominar

Se você está dando os primeiros passos na fotografia, precisa entender que alguns elementos são vitais para garantir as boas fotos que pretende fazer. Diafragma, obturador e ISO são os três elementos básicos da fotometria em uma câmera. Ou seja, são eles as 3 formas de controlar a quantidade de luz na foto (exposição da foto). Saber o que cada um faz, além desse controle de luz,  determina profundamente a linguagem de suas próximas fotos.

O diafragma fica na lente. Ele é responsável pela quantidade de luz que entra em sua câmera, passa pelo obturador,  atinge o sensor e, finalmente, gera a imagem. Ele trabalha num processo de fechamento e abertura. Então, quanto mais aberto o diafragma estiver, mais luz atinge o sensor da câmera.

A abertura do diafragma é representada pelo símbolo “f/” e quanto mais próximo de 1 for o número que segue o símbolo, mais aberto ele estará.

Por exemplo, se o diafragma estiver em f/2, ele está bem mais aberto do que se estivesse em f/8. 

O obturador é uma espécie de janela posicionada à frente do sensor e é responsável pelo tempo que a luz fica sendo projetada em sua câmera.  Quanto maior o tempo que ele ficar aberto, mais luz você terá na foto. Quanto menor o tempo ou a fração de segundo que ele permanecer aberto, menos luz você terá na foto.

É o obturador quem determina o tipo de foto realizada no que tange ao registro de assuntos em movimento.

Por exemplo, se quiser congelar apenas um momento exato de um pulo, você precisa trabalhar com velocidades altas. O obturador irá se abrir e fechar muito rapidamente, ficar pouquíssimo tempo aberto e captar apenas uma fração deste movimento.

O mesmo vale para aquelas fotos em longa exposição. O obturador fica aberto por um tempo maior, de forma a registrar o rastro das luzes ou elementos em movimento.

Um bom exemplo de fotos em longa exposição são as imagens feitas com uma técnica chamada “Light Painting”. São aquelas fotos famosas em que é possível “desenhar” com a luz. Abre-se o obturador por tempos maiores e um ponto de luz é movimentado diante da câmera. Isso gera um rastro luminoso que é totalmente registrado pela câmera.

O obturador trabalha com velocidades variáveis, inclusive frações de um segundo (1″). Então, quando você coloca a velocidade em 1/60, por exemplo, quer dizer que o obturador vai abrir e fechar em sessenta-avos de segundo.

Partindo deste ponto, você pode ter noção de que velocidade usar para a foto que deseja fazer.

 Já o ISO é responsável pela sensibilidade do sensor à luz. Quanto maior for seu número, maior será a capacidade de captar a luz do ambiente ou vice-versa.

Mas não se precipite: o ISO imita a relação de luminosidade dos filmes analógicos versus a qualidade dos tons da imagem, principalmente os mais escuros. Se você usar um número muito alto, pequenos “grãos” podem aparecer em sua imagem, o chamado “ruído”, pois a câmera tenta compensar a falta de luz do ambiente e “força” o sensor.

Repare abaixo diferença entre uma foto com um ISO bem mais alto e outra com o ISO ideal. A primeira parece ter pequenos grãos para a imagem. Já a segunda traz uma textura mais limpa.

ISO elevado

ISO ideal

Fotometrar bem é criar uma harmonia entre todos esses elementos e deixar a foto com a quantidade de luz necessária: nem a mais, nem a menos.

|VIA|

 

Leia mais sobre Fotografia para Iniciantes no Atelliê

 

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

*